10 Inacreditáveis erros médicos

Posted on 7 de Fevereiro de 2010

0


Embora todo ser humano seja passível de errar, os erros médicos nunca são vistos com bons olhos. O site Oddee compilou uma série de erros médicos curiosos, que tiveram desfechos diversos.

A clínica de fertilidade que utilizou esperma errado

uando Nancy Andrews, de Commack, NY, ficou grávida após uma fertilização in vitro – um procedimento realizado em uma clínica de fertilidade – nunca poderia imaginar que o novo membro da família seria tão diferente. A garotinha nasceu com a pele mais escura do que os pais. Exames de DNA identificaram que Nancy havia sido fecundada com o esperma de um outro homem. Segundo o Daily News, o casal aceitou a criança sem problemas, mas processou a clínica e os funcionários responsáveis pela mistura de amostras.

Recebeu o coração e os pulmões errados e, em seguida, morreu

Jessica Santillán, de 17 anos, morreu 2 semanas após ter recebido o coração e os pulmões de um paciente cujo tipo sanguíneo não correspondia com o dela. Os médicos da Duke University Medical Center falharam ao verificar a compatibilidade antes de iniciar a cirurgia. Depois de um segundo transplante, para tentar corrigir o erro, ela sofreu danos cerebrais e complicações que apressaram sua morte.
O caso foi matéria da CBS News, e o hospital culpou o erro humano pela morte da garota, juntamente com a falta de garantias para assegurar uma total compatibilidade no transplante.

O testículo errado

Em um outro caso de erro cirúrgico, médicos removeram o testículo saudável do veterano da Força Aérea, Benjamin Houghton. O paciente havia queixado-se de dor e retração de seu testículo esquerdo e teve agendada uma cirurgia para removê-lo devido a um câncer. Segundo a Associated Contest, o erro impulsionou uma ação que resultou em uma indenização de $ 200 mil.

Uma lembrancinha de 13 polegadas

Donald Church, 49, entrou no Centro Médico da Universidade de Washington com um tumor em seu abdômen e saiu sem ele, porém com uma lembrancinha nada agradável no seu lugar. Os médicos admitiram que haviam esquecido um retrator de 13 polegadas (cerca de 33 centímetros) por engano no seu abdômen. Segundo o Seattle PI, este não foi o primeiro caso do tipo. Entre 1997 e 2000, surgiram quatro novas ocorrências desta natureza. Felizmente, os médicos conseguiram remover o objeto pouco depois da cirurgia inicial. O hospital foi obrigado a pagar uma indenização de $ 97 mil.

Cirurgia certa… no paciente errado


Joan Morris, 67, deu entrada no hospital para ser submetida a uma angiografia cerebral, mas no dia do procedimento – por engano – acabou sofrendo uma cirurgia cardíaca para estudo de eletrofisiologia. Além do erro, a paciente foi transferida para um andar diferente, em vez de regressar ao leito original. Segundo o Linking Hub, na manhã seguinte, ela foi submetida a uma outra intervenção, quando foi feita uma incisão na sua virilha e enviado um tubo que conduzia ao coração (um procedimento extremamente arriscado e com possibilidade de hemorragia, infecção e acidente vascular cerebral). Foi quando o telefone tocou e um médico de um outro departamento perguntou “o que está fazendo com meu paciente?” O estudo foi abortado e ela devolvida ao seu quarto, em condições estáveis.

Hospital realiza cirurgia cerebral do lado errado… pela terceira vez em um ano


Pela terceira vez no mesmo ano, os médicos do Hospital Rhode Island operaram o lado errado da cabeça de um paciente. O mais recente incidente ocorreu em 23 de novembro de 2007. Uma mulher de 82 anos precisava de uma intervenção cirúrgica para eliminar a hemorragia entre seu cérebro e seu crânio. Um neurocirurgião do hospital começou a perfurar o lado direito da cabeça do paciente, apesar de uma tomografia computadorizada revelar que a hemorragia era do lado esquerdo, de acordo com os relatórios. Segundo o MSNBC, o equívoco foi notado e o residente fechou o primeiro buraco e avançou para o lado correto da cabeça.
Em fevereiro do mesmo ano, um paciente foi submetido a uma intervenção incorreta e em agosto, um homem de 86 anos morreu três semanas depois de uma cirurgia feita do lado errado da cabeça.

A subtração da perna errada


No que foi, talvez, o mais divulgado caso de erro cirúrgico em seu tempo, em Tampa (Flórida), cirurgiões equivocadamente removeram a perna de um paciente de 52 anos. Willie King foi vítima de uma sequência de erros antes da cirurgia, que culminou na amputação da perna errada. Como resultado do erro, o médico cirurgião foi suspenso por seis meses e obrigado a pagar uma multa de $ 10 mil. Uma matéria encontrada no Find Article, afirmou que o Hospital, onde a cirurgia foi realizada, também indenizou o paciente em $ 900 mil.

Rim saudável retirado por engano


Em St. Louis Park, Minnesota, um paciene foi submetido a uma remoção de um rim, porque um tumor canceroso havia se alastrado por ele. Em vez disso, os médicos removeram o rim saudável.
“A descoberta de que era o rim errado foi feita no dia seguinte, quando o patologista examinou o material e não encontrou nenhuma evidência de qualquer doença malígna”, disse Samuel Carlson, chefe do Park Nicollet Medical Office, hospital onde o rapaz foi operado. Segundo o diário Wcco, o rim que restou permaneceu intacto e funcionando.

A cirurgia que levou ao suicídio


Uma anestesia inadequadamente aplicada num paciente, permitiu-lhe sentir cada corte do bisturi do cirurgião, causando um trauma tão grande, que levou o homem ao suicídio, duas semanas depois. Sherman Sizemore foi submetido a uma cirurgia exploratória para determinar a causa de sua dor abdominal. Infelizmente, durante a intervenção, ele experimentou um fenômeno conhecido como consciência anestésica – um estado no qual o paciente é capaz de sentir dor, pressão ou desconforto durante uma operação, mas é incapaz de se mover ou comunicar-se com os médicos.
Segundo denúncias, os anestesiologistas administraram as drogas para o paciente adormecer, mas não conseguiram dar-lhe a anestesia geral, que tornaria ele inconsciente até 16 minutos após o pimeiro corte em seu abdomen. Segundo o MSNBC, o paciente de 76 anos suicidou-se por não suportar a experiência que viveu.

Artéria errada

Dois meses depois de passar por uma cirurgia de ponte de safena dupla, o comediante Dana Carvey, recebeu a notícia que haviam operado a artéria errada. Uma outra operação de emergência foi feita para eliminar o bloqueio que ameaçava matar o comediante de 45 anos. Os médicos responderam a uma ação de $ 7,5 milhões, mas afirmaram que foi um “erro honesto”, já que a artéria situava-se num local incomun do seu coração. Carvey não quis saber e afirmou: “É como remover um rim errado. Trata-se de um grande erro”, disse ele à revista People.
Posted in: Sem categorias